O "estadunidentismo" liberal brasileiro e a "Ditadura do indivíduo" liberal e progressista no Brasil


Créditos da Imagem: http://historiaporimagem.blogspot.com/2011/11/primeira-bandeira-do-brasil-republica.html 

 Muitos que aqui estão lendo este artigo, se deparando com a imagem acima podem achar que foi um montagem feita por nós. Também podem pensar, com toda razão, que é uma imagem de algum  neo conservador bajulador dos Estados Unidos. Mas, não. É a Primeira Bandeira Oficial da República Federativa do Brasil. Feita em meados de 1889. 

 O estadunidentismo brasileiro é perceptível ser antigo. Seu início, se dá com a própria Proclamação da República pelo Golpe Militar de 1889. A partir daí, o Brasil, se rende a um entreguismo estadunidense. Deixando explícito este entreguismo em sua bandeira. Evidenciando a tentativa de "estadunidenciar" ou imitar a nação estadunidense. Principalmente em sua estrutura política. E isto é reforçado hoje, principalmente, por liberais brasileiros. 

 Os liberais brasileiros parecem não só admirar a nação estadunidense, mas a invejá la. E esta inveja se traduz na inveja não de sua cultura, e não somente de sua estrutura política. Mas, principalmente, em sua política econômica, a possibilidade de prosperidade daquela nação. Como se a chave para a felicidade de uma nação fosse somente a capacidade de prosperar financeiramente e consumir. Mais nada. O cumprimento da ética e moralidade, que são conceitos metafísicos para boa comunhão entre as pessoas, não existe. Tudo é somente uma relação de produção, venda, compra, e agressões físicas ou abstenções de agressões físicas.
 A felicidade, para o liberal, não está em algo transcendental como a fé, nem mesmo na aplicação correta e justa da lei, como a punição justa e exemplar, que tem como cultura que a lei é a positivação do costume da sociedade regida por mandamentos divinos. Para o liberal, a fé, a doutrina de fé da maioria de um Povo, não deve ser referência de ética e moralidade. Só isto seria uma agressão a qualquer um indivíduo que queira desviar-se desta moral e fazer negócios desta imoralidade. O impedimento de um povo através da positividade da lei à criação de um negócio contra o costume deste mesmo Povo é dito uma agressão ao indivíduo. Como se o indivíduo tivesse que deter de um Poder maior que o próprio Povo que constitui a própria Nação. Daí surge a ideia de acabar com a própria noção de Pátria e Nação. Mas, não é este o objetivo deste artigo e não me estenderei mais.

 A prosperidade econômica, a liberdade desregrada desvinculada da moralidade religiosa, que é parte da cultura de um Povo são os pilares da Justiça no conceito liberal. Os indivíduos nunca devem ser impedidos de prosperarem mesmo que essa prosperidade atinja à toda uma cultura de um Povo, mesmo que este seja religioso e dite as leis morais de um País. Um indivíduo criando um Mercado que ataque a todo um Povo moralmente, não é uma agressão? Para muitos liberais brasileiros, não. Agressão é o Povo impedir o indivíduo de criar o Mercado. E até para outros liberais, nem Povo, Nação deveria existir para não agredir o indivíduo, o impedindo de criar o Mercado que ataque os valores deste Povo. Ideia esta que vem sendo importada dos Estados Unidos, pelos liberais brasileiros. Onde tudo se resume em negócio, não valor moral de um Povo regido por leis morais divinas religiosas. Em sua maioria cristã. 

 Assim, para os liberais, e principalmente, os liberais brasileiros, o medidor e comprovador de uma Nação ser uma boa Nação é a prosperidade econômica e a liberdade desvinculada de leis morais, principalmente religiosas, na América, se tratando do Cristianismo. 

 Deste que o Brasil imitou a Bandeira dos Estados Unidos, mesmo que depois criando uma própria, não parou de imitar o País. Importou a ideia liberal de que o indivíduo deve ter maior Poder que o próprio Povo e seus costumes. Daí importaram a Revolução Sexual dos EUA, e isto progressivamente, até toda luta de classes progressista, racial, LGBT, liberação de entorpecentes, abortista e etc. Só não imitou aquilo que seria bom ter imitado a prosperidade econômica. Mas, eu até digo "ainda bem". Pois imitariam a prosperidade econômica que é desvinculada da moral religiosa criando um Estado Laico que teria Poder sobre as Religiões. E poderia quando não deveria, existir os mercados que agridem a moral religiosa cristã. O que comunistas, e principalmente, progressistas lutam. 

 Por isto, o estadunidentismo liberal brasileiro é nocivo ao Povo brasileiro. Pois, quer colocar o indivíduo que ataque o costume, moral brasileira, com maior Poder do que o próprio Povo brasileiro. E isto ser positivado, legalizado por um Estado de ideal liberal laico. O que pode ser chamada de "Ditadura do indivíduo" ou " Fascismo do indivíduo". Paradoxal, mas liberais são ditadores da individualidade plena. O mesmo que progressistas pregam. O ataque e destruição dos costumes oriundos do Cristianismo com o objetivo de destruir o próprio Cristianismo, para que o costume e o Povo, não ditem sobre o indivíduo, o proceder de sua própria Nação sobre a lei moral religiosa cristã, através de um Estado Laico. Através de um Estado Laico querem legitimar positivamente a ditadura do indivíduo sobre a vontade majoritária popular do Povo brasileiro com costumes cristãos.

 - Renato Faustroni 

Comentários