A esquerda e suas falsas narrativas


Para a esquerda a verdade nunca importa, a realidade dos fatos é irrelevante, só o que importa para eles é manter a narrativa e seguir até o final com aquela versão e quando todos se cansarem eles terão permanecido e aquilo que eles repetem a exaustão acaba se fixando como verdade. Vemos isso nas declarações dos apoiadores do socialismo que as tentativas fracassadas da implementação do socialismo na União Soviética (URSS), os assassinatos em massa da Revolução Cultural Chinesa implantada por Mao Tse Tung, o massacre e ruralização do Camboja promovido por Pol-Pot que sempre dizem "Aquele não era o socialismo real", algo que com o passar do tempo acabou inclusive se tornando uma piada entre seus opositores, mas eles nunca abandonaram a narrativa. Agem de forma eloquente e com uma uma imitação quase perfeita de caridade e altruísmo.
Agora uma nova narrativa fraudulenta vem se formando em relação a tentativa de homicídio sofrida pelo Deputado Federal Jair Messias Bolsonaro, candidato a presidência da republica e líder nas pesquisas de intenção de votos. Mesmo o sujeito tendo sido filiado ao PSOL por quatro anos, mesmo o sujeito participando de atos contra o Impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e participando de atos contra o atual governo do presidente Michel Temer agora o site do UOL tenta ligar o homem que atentou contra a vida de Bolsonaro com os conservadores e focam mais no fato dele ter sido membro de igreja protestante que ele ter sido filiado a um dos partidos de esquerda com uma das agendas mais abomináveis que já existiu no Brasil, propagadores da ideologia de gênero e apoiadores de estimulação sexual em crianças disfarçados de ensino. Sei que nós por sermos uma página católica temos as nossas diferenças com os protestantes, mas esse não é o caso, pois tanto católicos quanto protestantes hoje enxergam na figura de Jair Bolsonaro uma esperança de algo diferente para o nosso país, um novo rumo que poderá fazer com que o país saia do estado de calamidade que se encontra hoje. 
Como uma página conservadora temos a obrigação de rechaçar esse tipo de associação.
Uma coisa que eu sempre costumo dizer quando negam a proximidade do regime nazista alemão com o socialismo é um costume do vizinho ruim que joga o lixo no quintal do vizinho e depois reclama do mau cheiro. Agora querem desassociar a imagem de Adélio com a esquerda chamando-o de conservador.

Comentários