Aborto derrotado na Argentina


A prática do aborto é mórbida e não existe nenhuma método onde ele seja realizado que não gere sofrimento para a criança que está em gestação e para a mulher que está gestante. De toda forma sempre haverá sequelas deixadas no corpo, por isso mesmo que é necessário alguns tratamentos quando a mulher sofre um aborto espontâneo.
Existem sim, raríssimas ocasiões onde o aborto é necessário, pois caso contrário não existiria nem mesmo sobrevida nem para a mãe nem para o bebê e nesses casos para essa preservação existe essa necessidade.
O que não pode existir é como movimentos progressistas querem nos convencer de que se use o aborto como método contraceptivo. Isso inclusive foge do significado de contracepção que é justamente evitar que haja a concepção de um filho pelo ato sexual. No mundo moderno pedir castidade é quase como pregar no deserto, pois até mesmo dentro das igrejas criou-se uma certa tolerância a fornicação, mas todos temos consciência de que isso é um pecado e que deve ser confessado como qualquer outro.
Houve então uma vitória. O senado argentino não deu seguimento ao que havia sido aprovado pelos deputados daquele país com uma lei que permitiria o aborto. Houve muita pressão sobre os governantes argentinos e inclusive um aviso vindo direto do Vaticano em aviso ao presidente Macri que se caso a lei fosse sancionada, ele, que se declara como católico seria excomungado. Contudo o Brasil segue por esse mesmo caminho, onde discute-se a possibilidade de haver descriminalização até o terceiro mês de gestação, algo absolutamente monstruoso, já que no terceiro mês de gestação o bebê já tem o seu corpo formado, seu coração já bate.
O aborto sem nenhuma discussão é um ato de violência tremenda que não pode ser confundido em nenhum caso como uma atitude misericordiosa, pois o
 ato de eliminar uma vida que está completamente indefesa só pode ser descrito como demoníaco.O maior perigo de quem defende esse tipo de prática é não saber reconhecer as forças malignas que agem por trás dos panos, que tudo que se envolve as politicas liberais são pautadas no sentido de ir avançando aos poucos. Tomemos como exemplo o caso da proibição das vaquejadas no Brasil, toda essa movimentação foi levando em conta a filosofia de vida vegana, que prega uma vida sem uso de nada de origem animal. Acontece que como pensamos no sentido da liberdade imaginamos e queremos que as pessoas vivam suas vidas da melhor maneira que elas quiserem, desde que não interfira na vida das outras pessoas que vivem na mesma sociedade, mas veganos vivem suas vidas dessa forma quase como se fosse uma religião colocando-se inclusive como pessoas mais inteligentes e superiores as outras que utilizam animais e querem impor por força de lei que todas as demais pessoas vivam como eles, ou seja, hoje eles proíbem rodeios, vaquejadas e animais de circo e no futuro eles tirarão o bife do seu prato, tratando-o como um criminoso homicida. Em contrapartida os mesmos que choras por animais de abate querem ter juntamente com isso a oportunidade de matar um ser humano em gestação.
A vida humana deve ser valorizada ao máximo, devemos amparar nossos irmãos da melhor maneira, praticando a caridade sempre que possível e tomando atitudes altruístas para melhorar ainda mais a nossa vida em sociedade.
Não existe necessidade de nenhum estudo para combater o aborto, a simples ideia de que matar um ser humano, independente de qual estagio da vida sem tenha pratica mal nenhum é inconcebível.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Neo Conservador é uma Desgraça

O eleitorado oculto de Jair Bolsonaro

Os perigos de Janaina Paschoal