Ignorância mata. O movimento contra as vacinas põe crianças em risco.


Nos últimos tempos é crescente o número de pessoas aderindo a uma mobilização contra vacinas, isso tem resultado em reaparecimento de doenças que já haviam sido imunizadas no país como é o caso da poliomielite (paralisia infantil).
As acusações nunca partem de fontes seguras e os relatos existem para dar medo em pais. O que mais me impressiona é a ignorância disfarçada de sabedoria por parte dessas pessoas, décadas de dedicação em pesquisas estão sendo jogadas ralo abaixo por mentiras espalhadas por sites não confiáveis e por mensagens sensacionalistas que circulam pelas redes sociais como o Facebook e o Whatsapp. Esse segundo consegue ser o pior de todos, normalmente essas informações vem através de arquivos de áudio com pessoas falando um português horrível usando um ou dois termos técnicos que deve ter se dado ao trabalho de decorar e ainda ulitsa-los de de forma errada e logo outras pessoas apressam-se em espalhar a falsa informação e ainda por cima ganhar ares de inteligência ao faze-lo.
Vejam este caso. O homem faz postagem falando sobre substâncias que o corpo humano absorve ao darmos vacinas aos nossos filhos, note também que ele está pegando essa "informação" de um site provavelmente dos EUA, já que a manchete está em inglês, mas vejamos alguns fatos. A primeira vacina criada fora a vacina da varíola ainda no Século XVIII quando a expectativa de vida era de 33 anos na Europa atualmente a média de expectativa de vida gira em torno de de 80 e 83 anos.
Esse homem usa argumentos completamen-
te sem sentido para estimular pessoas a não
darem vacinas para as crianças. Esse tipo de
pessoa é extremamente perigosa .                
Esse movimento contra vacinas existe nos EUA e ouço falar dele há pelo menos uma década, os brasileiros sempre foram muito engajados em levar seus filhos para imunização, era quase como uma competição, as mães que por ventura não levavam seus filhos para tomarem as vacinas ainda nos primeiros dias da campanha de vacinação acabavam sendo vistas como desleixadas. Acontece que com o advento da internet e das redes sociais as distâncias passaram a ser reduzidas e as notícias falsas ficam ainda maiores, se durante anos ouvimos falar que os EUA ensinavam nas escolas que a Floresta Amazônica fazia parte de seu território nacional, hoje nós ouvimos falar que as vacinas são feitas para matar as pessoas pobres e que elas, justamente as vacinas vão deixar os seus filhos doentes.
O mundo hoje além de precisar de vacinas para conter as infecções dos vírus também precisa criar vacinas contra a ignorância e principalmente aquela ignorância que vem acompanhada de arrogância, caso contrário corremos o risco de voltar a era das superstições. 

Comentários